A PESCA E O PORTO

A Pesca na Ericeira

Em 1896 estabeleceram-se na Ericeira as primeiras armações de pesca da sardinha ‘à valenciana’. Chegaram a existir três empresas dedicadas a esta arte.

Em 1916 havia 74 embarcações com 268 homens.

Em 1931, a pesca ficou reduzida apenas aos métodos artesanais. A vila possuiu mais de 80 lanchas movidas a remo e à vela que se dedicavam à pesca da lagosta com covos. 

As lagostas chegaram a ser exportadas por avião para a Alemanha (Lufthansa) através do Aeródromo da Granja do Marquês. A Portela, em Lisboa, ainda não existia!

Em 1948, iniciou-se a crescente motorização dos barcos.

Em 1957, existiam registadas na Delegação Marítima 180 embarcações (lanchas e algumas chatas) e inscritos na Casa dos Pescadores 407 pescadores e marítimos repartidos pela pesca da lagosta (223), pela do anzol (185) e pelas outras pescas (38).

No Verão pescaram à lagosta (22), ao linguado (7), o que perfaz o total de cerca de 116 pescadores.

Separator


SOBRE O PORTO DE PESCA



Alguns factos e datas sobre o Porto de Pesca, aventura iniciada em 1953.






Em 3 Janeiro de 1958, a auto intitulada ‘Comissão Ad-hoc Pró-Porto de Pesca da Ericeira’ foi recebida pelo Ministro das Obras Públicas de Salazar, Arantes e Oliveira.

Em 1963, o Ministério das Obras Públicas deu início à construção de um parque varadouro, encostado à calçada do lado norte da  Praia da Ribeira.

Em 9 de Julho de 1973, iniciou-se a construção do ‘malfadado molhe’ norte.

Em 1979, no decorrer da construção do ‘malfadado molhe’ um tremendo temporal destruiu uma grande extensão do mesmo.

Em 1983, após a reparação dos estragos, a obra ficou concluída.

Em Fevereiro de 1987, o mar bravio provocou sérios danos no ‘malfadado molhe’. 

Em Dezembro de 1997, as destruições continuaram separando-se o cais acostável da cabeça do ‘malfadado molhe’.

Em 30 de Dezembro de 1998, o mar enraivecido invadiu o varadouro e arrombou e destruiu os portões do Instituto de Socorros a Náufragos.

Em Outubro de 1999, vagas com sete metros de altura provocaram novas destruições no ‘malfadado molhe’.


INSTITUTO PORTUÁRIO E DOS TRANSPORTES MARITIMOS

O IPTM é a entidade responsável pelos portos portugueses, entre eles, o da Ericeira.

O Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos, IP, (IPTM, IP) é um instituto público integrado na administração indirecta do Estado, dotado de autonomia administrativa e financeira e património próprio. 

Organismo central, com sede em Lisboa, detém jurisdição sobre todo o território nacional e as suas atribuições são ainda prosseguidas por três delegações:

  1. Delegação do Norte e Douro 
  2. Delegação do Centro
  3. Delegação do Sul

 

 

© ONE, SGPS, 2012